Avancem para águas mais profundas e a pesca milagrosa acontecerá. Na mediocridade da margem milagres não acontecem...

Abr292011
PDFImprimirE-mail

Como começou

O Grupo Vivarte já existia e já tinha uma longa caminhada, 5 anos evangelizando através de peças e encenações, mas aqueles jovens que estavam ali queriam o algo mais, algo diferente, inovador, e foi quando surgiu um convite muito interessante vindo de um grupo de jovens da cidade de Osasco, o convite foi o de participar de um festival de teatro católico, aonde os grupos poderiam apresentar uma peça com tema evangelizador e no final as melhores peças seriam premiadas.

Foi um sonho que se tornou realidade, este convite fez com que todos do Vivarte se empolgassem, parecíamos que estaríamos indo concorrer a um Oscar, todos começaram a correr atrás de um texto para podermos apresentar neste festival, correram atrás da documentação necessária para fazer a inscrição do mesmo e por aí foi, aquilo agitou o grupo de uma maneira que nunca havía acontecido.

Inscrição feita, documentação entregue, e agora seria só esperar o resultado para saber se estaríamos entre os classificados para o festival...ansiedade total, os dias não passavam, os ensaios eram imensos e intermináveis, até que chegou o dia e saiu o resultado de que fomos selecionados para se apresentar no festival em Osasco.

Muita alegria e emoção, mas também muito trabalho pela frente. O grupo se mobilizou todinho e muita gente de fora também ajudou, corremos atrás do figurino, do cenário, ensaiamos muitos dias e noites e fomos participar deste festival.

Chegamos em Osasco com aquela ansiedade tremenda, fomos recepcionados pelos organizadores, guardamos o nosso cenário e figurino e sentamos para assistirmos as peças que estavam por vir. Tudo aquilo era bonito demais para todos, só o fato de podermos estar ali participando de um evento daquele já era um grande presente de Deus para nós.

Chegou a nossa hora de apresentarmos, fomos para o camarim, nos maquiamos, preparamos o cenário, fizemos as nossas orações e fomos lá e colocamos os nossos corações naquele palco. Acabada a apresentação fomos aplaudidos de pé, e a garantia de que o nosso objetivo tinha sido cumprido, o de evangelizar a todos que estavam ali presentes através da arte do teatro.

Voltamos para nossas casas extasiados e entusiasmandos e com a vontade do quero mais, nas nossas próximas reuniões que tivemos só falávamos disso, das emoções que passamos juntos e de tudo aquilo que Deus proporcionou para nós, e ficou aquela pergunta no ar, será que nós também não teríamos a capacidade de fazer um festival igual aquele?

Esta pergunta ficou no coração daqueles jovens do grupo Vivarte um bom tempo, até que um dia 4 daqueles jovens decidiram tomar a frente, e sentaram juntos, sonharam juntos e decidiram fazer um festival idêntico aquele na Paróquia São Judas.

Foi dado o nome ao festival, Cristoarte, sim este seria o nome, o festival que teria como objetivo e propósito o mesmo do grupo Vivarte, evangelizar através da arte do teatro, só que desta vez não estaríamos sozinhos neste objetivo e sim juntamente com todos os grupos que fossem convidados a participar do festival.

Elaboramos um regulamento, definimos as equipes que iram trabalhar neste festival, convidamos várias pessoas para estarem juntos com o grupo Vivarte, trabalhando para que este festival saísse. Convidamos os jovens da Crisma, do EJC da paróquia e vários outros e fomos juntando todos aqueles que queriam estar juntos em prol da realização deste festival. Fizemos diversas reuniões, e após muitas decisões tomadas e com a aprovação do nosso pároco, partimos para a divulgação do festival.

Assim surgiu o I CRISTOARTE, recebemos as inscrições, selecionamos os grupos, e trabalhamos e muito na organização do mesmo. Chegado o dia do festival, foi uma emoção muito grande para todos nós, a emoção de termos sonhados juntos e de estarmos realizando junta a realização daquele sonho. Ao fim daquele primeiro dia de festival, todos estávamos exaustos, mas com a sensação do dever cumprido, foi muito bom poder juntar grupos de outras paróquias em prol de um único objetivo. Deus esteve presente em todos os momentos e nos ajudou e muito na realização do evento.

E assim os anos foram se passando e a cada ano que se passa este festival fica cada vez maior, tivemos nestes anos todos histórias de superação, de muitas alegrias, muitas tristezas, muitas emoções e muitas pessoas evangelizadas e tocadas por todas estas peças que já foram apresentadas nestes anos de festival.

É impressionante que a cada ano, temos uma história para contar, um causo, uma coisa que ficou marcante, enfim algo que marque que em todos os anos Deus se faz presente e se manifesta de diversas maneiras tocando as pessoas que estão ali para encenar alguma peça, ou que estão ali trabalhando para que o festival aconteça ou que estão ali meramente como espectadores, mas passam os anos mas o objetivo é sempre alcançado com as Graças de Deus, o de continuarmos juntos e unidos, não importando a raça, a cor e a religião daqueles que estão envolvidos em prol de uma evangelização através da arte do teatro.

Por Rodrigo Ciarrocchi (Idealizador do Festival Cristoarte)

Última atualização em Mai082011